[vc_row][vc_column][vc_custom_heading text=”A Sacerdotisa da Lua” font_container=”tag:h1|font_size:35|text_align:left|color:%23af6611″ use_theme_fonts=”yes”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/3″][vc_custom_heading text=”Autora Melissa Gimenes” font_container=”tag:h3|font_size:20|text_align:left|color:%23af6611″ use_theme_fonts=”yes” link=”url:http%3A%2F%2Fgurusnaweb.com.br%2Fbreve-2%2F|||”][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_custom_heading text=”Co-autor Jaime Benedetti” font_container=”tag:h3|font_size:20|text_align:left|color:%23af6611″ use_theme_fonts=”yes” link=”url:http%3A%2F%2Fgurusnaweb.com.br%2Fjaime-benedetti%2F|||”][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_custom_heading text=”Co-autora Ingrid Dalila Engel” font_container=”tag:h3|font_size:20|text_align:left|color:%23af6611″ use_theme_fonts=”yes” link=”url:http%3A%2F%2Fgurusnaweb.com.br%2Fingrid-dalila-engel%2F|||”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”591″ img_size=”full” alignment=”center” style=”vc_box_shadow_3d”][vc_custom_heading text=”A Saga do Despertar” font_container=”tag:h2|font_size:35|text_align:right|color:%23af6611″ use_theme_fonts=”yes”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_separator color=”chino” border_width=”3″][vc_column_text]

“…um dia, eu sairia dali e encontraria pessoas como eu, pelo Oceano a fora pessoas que entenderiam…”

[/vc_column_text][vc_separator color=”chino” border_width=”3″][vc_column_text]São 2:29 precisamente , esse ano ando acordando todas as noites entre 2:30 am e 3:16 am, e tenho costume de olhar o céu e a vista do alto distante, gosto de olhar o escuro, as estrelas e a luz da lua refletindo no solo, gosto de esperar o canto das aves que em breve começarão a cantar, gosto de sentir a brisa e o som do vento no meu rosto…

Não há nada mais belo do que a natureza e é o tempo controlado por ela onde reina o silêncio…o mais puro silêncio,  um silêncio só meu e da madrugada.

O horário perfeito onde podemos nos conectar com nossa alma e com nosso verdadeiro Eu Divino, pois estamos sozinhos e nos sentimos sozinhos…

Podemos ter vagas lembranças ou sensações de quem fomos, saudades de outros tempos, lugares, saudades do desconhecido, a nossa mente viaja, como se em uma dimensão paralela e a lá não houvesse limites e não houvesse distâncias e nem tempo, imaginamos lugares sem mesmo mo tempo presente termos passado por eles.

Neste exato momento se eu fechar meus olhos e abrir meus braços, me vejo no alto de uma pedra de cabelos compridos da cor do sol, com um vestido azul escuro longo com uma ventania forte com a luz da lua ouvindo o barulho estrondoso das ondas batendo nas pedras , o mar está revolto mas esse barulho impactante  não me incomoda…

Nesse momento me sento e olho o céu estrelado, a luz da lua refletindo nas águas do oceano… estou sozinha, simplesmente sozinha… como sempre me senti, unicamente sozinha, como a lua refletindo no oceano, como sempre me senti, mas minha esperança é que do outro lado do oceano, um dia, alguém irá me encontrar, eu sinto um misto de receio, curiosidade e medo… medo, porque eu sei que algo existe além daquele oceano e daquela montanha.

Eu tenho a sensação que aquele povoado onde eu vivo nunca há de conseguir me ouvir e me compreender, pois sempre me senti usada, perseguida , zombada, fragilizada, como se eles não fossem capazes de entender sobre o mundo que eu falava e sobre as minhas histórias.

Eles achavam que eram meras fantasias, e muitos acreditavam que eu era louca ou me chamavam de bruxa, pois não acreditavam que poderia existir um outro mundo além dali , daquele lugar , daquela existência…

Zombavam quando eu dizia que um dia, eu sairia dali e encontraria pessoas como eu, pelo Oceano a fora pessoas que entenderiam minhas loucuras e devaneios e que ajudaríamos muitos povoados , diziam que morreria vagando louca pelos vales, como uma velha bruxa moribunda.

Mesmo assim me perguntavam as coisas que aconteceriam o tempo todo, eu cuidava de crianças, adultos, familiares, amigos, vizinhos, me sentia cansada desde criança, com trabalhos exaustivos sobrava pouco tempo para eu descansar, eu dormia com a sensação do dever cumprido mas com tristeza e um enorme aperto no coração.

Voltei a olhar a vista a brisa estava gelada e o vento soprava mais forte já era 3 da manhã sinto que em breve uma embarcação chegará.

Sabem qual é meu sonho?

Encontrar meu povoado.

As pessoas  parecidas comigo e que me entendem, eu já vivi em Atlântida e dentro de mim sinto que já fui uma Sacerdotisa, e meu nome? Meu nome é Myra, Sacerdotisa da Lua…A Sacerdotisa da Noite.

 

 

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/3″][vc_facebook][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_tweetmeme][/vc_column][vc_column width=”1/3″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_separator color=”chino” border_width=”3″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_custom_heading text=”Fale com a Autor:” font_container=”tag:h1|font_size:35|text_align:left|color:%23af6611″ use_theme_fonts=”yes”][contact-form-7 id=”272″][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_single_image image=”244″ img_size=”large”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][/vc_column][/vc_row]