No Fundo do Poço

A Saga do Despertar

Depois de me interrogarem por um bom tempo, me jogaram num buraco profundo e escuro…Não sabia onde estava…”

Estava fugindo dos Sacerdotes… O ED me salvou novamente.

Tentava a todo instante me livrar daquela perseguição alucinada…Sabia demais das coisas, era caçado por todos os cantos do nosso vilarejo…Não sabia mais como, estava exausto de tanto correr, esconder, não dava mais para resistir aos ferimentos causados pela fuga que tinha empreendido.

Esconder até quando, onde, como ?

Por fim, sem resistência alguma, os Sacerdotes me acharam…Me levaram pela mata por horas até um local bem afastado do vilarejo onde morava!

Depois de me interrogarem por um bom tempo, me jogaram num buraco profundo e escuro…Não sabia onde estava!

Ao amanhecer vi o Sol nascer e lançar sobre mim, nas profundezas daquele poço profundo, uma camada fina de luz que dava apenas para ver uma parte das paredes lisas e duras…Pensei, ali iria morrer, só, sem que ninguém soubesse da minha existência e paradeiro…

Fiquei sentado por horas e horas, até que uma voz ao lado me disse bem baixinho: Fique tranquilo, eu sou o ED, seu amigo que vai lhe ajudar e você vai sair dessa nadando!

Meu Deus, como vou sair dessa, ainda mais nadando, dentro de um buraco profundo e úmido?

Comecei a chorar, chorar sem parar, não acreditava no que tinha ouvido, não vou sair daqui nunca, ainda mais nadando..Que loucura, devo estar ficando louco!

Chorava muito, sem parar, por horas e as lágrimas que derramavam pelo meu peito, caiam até o fundo do poço, numa terra fofa…

Deitei no fundo do poço, molhado pelas minha lágrimas e comecei a passar as mãos pela terra, senti que ia formando um barro, comecei a escavar para o fundo sem parar e cada momento ia tirando mais barro e mais barro e afundava as mãos e percebi que cada vez mais minava ali água, não mais as minha lágrimas, mas sim água….

Cavava desesperadamente e ia cada vez mais profundo até o meu corpo ficar todo enterrado e de repente novamente a voz: Prepare-se para nadar!

Numa explosão assustadora, de repente começou a jorrar uma imensa quantidade de água das profundezas daquele buraco que cavei com as minhas mãos e a água começou a subir, subir, e eu comecei a me debater e subir junto com aquela água que me levava assustadoramente para cima sem parar…

Quando me dei conta, em questão de poucos minutos a água me trouxe para a superfície do poço e comecei a me agarrar nas plantas e cheguei para fora… Comecei a correr, não acreditava que um pequeno buraquinho que fiz lá em baixo, com as minhas próprias mãos e com as minha lágrimas eu conseguira sai dali, daquele buraco em que fui jogado para morrer…

Já fora daquele poço, mais uma vez ecoou em meus ouvidos aquela voz mansa e calma do meu amigo ED, aquele que me animara a viver:

Viu só, precisou apenas um pouco de choro e cavar bastante para sobreviver !

Isso chama-se, Fé !

Percorri muitos dias e noites, passei por muitos vilarejos, fui para bem distante, aprendi muito sobre a vida e encontrei por fim o lugar onde viveria em paz, com os meus amigos e com a minha companheira de jornada…

Tenha fé sempre, mesmo quando tiver que chorar, lembre-se que sempre haverá uma saída inusitada para tudo….

Ainda ouço até hoje o meu amigo ED gargalhando nos meus ouvidos, lembrando a minha grande aventura no fundo do poço escuro!

 

 

Fale com o Autor: